O que é libido?

falta-de-libido12.1

Libido é o desejo ou impulso sexual de um homem ou mulher, é a carga energética que direciona os instintos vitais.

Devido ao nosso estilo de vida, a falta de libido vem “atacando” pessoas de todas as idades. A pressa e a falta de estímulos são os principais motivos. Além disso, doenças como depressão, estresse, ansiedade, transtorno bipolar, o uso de drogas, alguns medicamentos, intestino crônicamente preso e principalmente a alimentação, são fatores que podem contribuir para a falta de libido.

Portanto, o melhor remédio para combater a falta de libido é uma alimentação saudável, livre de alimentos inflamatórios e industrializados, exercícios físicos, e menos estresse no cotidiano (sempre que possível).

Existem alguns alimentos, suplementos e plantas que ajudam a aumentar a libido:

  1. Ostras, lagosta, mexilhões, salmão, anchovas
  2. Alho poró, aspargos, alcachofra, rabanete, alface, inhame, tomate
  3. Mel, vinho, cogumelo, chocolate amargo, ovos
  4. Banana, morango, manga, figo, amêndoas, abacate, romã

E as Especiarias:

  1. Noz moscada, pimenta caiena, canela, coentro
  2. Cardamomo, pimenta malagueta, curry, cominho
  3. Alcaçuz, cebola, alho, baunilha

 O zinco é fundamental neste processo, pois mantém a quantidade de testosterona equilibrada, o que é fundamental para a libido. Os frutos do mar são as principais fontes, mas as carnes, peixes, frango, castanhas e sementes também contem uma boa quantidade.

Muito estresse = aumento de Radicais livres = gasto grande de antioxidantes dependentes de zinco = deficiência de zinco para varias reações = baixa libido

Agora use a criatividade para montar pratos que contenham vários destes alimentos.

Algumas sugestões:

  • Shake de banana + manga + sementinhas de cardamomo + mel
  • Salmão temperado com coentro e pimenta vermelha acompanhado de alho poro e purê de inhame batido com curry
  • Figo assado com mel + canela + baunilha
  • Morangos com chocolate amargo derretido por cima + sementinhas de romã para enfeitar

greenmark.1

Agrotóxicos! Estamos livres desse veneno?

agrotoxico

Você sabia que o Brasil é o pais que mais consome agrotóxicos no mundo?

Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) mesmo após lavar os alimentos com vinagre, água sanitária, detergente e bucha, os alimentos não estão livres totalmente dos agrotóxicos.

“Os agrotóxicos podem ser divididos quanto ao modo de ação entre sistêmicos e de contato. Os sistêmicos são aqueles que, quando aplicados nas plantas, circulam através da seiva por todos os tecidos vegetais, de forma a se distribuir uniformemente e ampliar o seu tempo de ação. Os de contato são aqueles que agem externamente no vegetal, tendo necessariamente que entrar em contato com o alvo biológico. E mesmo estes são também, em boa parte, absorvidos pela planta, penetrando em seu interior através de suas porosidades.

Uma lavagem dos alimentos em água corrente só poderia remover parte dos resíduos de agrotóxicos presentes na superfície dos mesmos. Os agrotóxicos sistêmicos e uma parte dos de contato, por terem sido absorvidos por tecidos internos da planta, caso ainda não tenham sido degradados pelo próprio metabolismo do vegetal, permanecerão nos alimentos mesmo que esses sejam lavados. Neste caso, uma vez contaminados com resíduos de agrotóxicos, estes alimentos levarão o consumidor a ingerir resíduos de agrotóxicos.” (Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/)

Captura de Tela 2015-04-10 às 11.30.19 AM
Fonte: http://portal.anvisa.gov.br

Segundo o Instituto Nacional do Câncer as vendas de agrotóxicos passaram de US$2 bilhões em 2001 para mais de US$8,5 bilhões em 2011. A média mundial de crescemento do uso de agrotóxicos é de 93%, no Brasil é de 190%.

Os agrotóxicos podem ser causadores de câncer de mama, fígado e testículo, Alzheimer, má formação do feto, autismo, doenças cardíacas, entre outras.

O que podemos fazer para evitar sermos expostos a esse veneno? Devemos cada vez mais procurar por alimentos orgânicos. Existem supermercados, lojas e feiras especializadas nessa nova linha de produtos.

Os alimentos orgânico são livres de agrotóxicos, fertilizantes e conservantes. São fertilizados de forma natural, bem como o combate de pragas. No caso de carnes e derivados são criados sem o uso de hormônios e anabolizantes. A produção destes alimentos respeitam o meio ambiente, sem contaminar solo, água e vegetação.

Nem sempre os alimentos orgânicos são mais caros do que os alimentos produzidos com agrotóxicos e hormônios. Vai depender da organização da produção local e da demanda. Como consumidores podemos criar instrumentos que incentivem a produção local. Aumentar a procura é uma destes instrumentos.

Podemos também criar uma horta dentro de casa. Plante alface, salsinha, cebolinha, hortelã, entre outros. Assim você ajuda a sua família a consumir menos agrotóxicos e conservantes no dia a dia.

Faça sua parte!

greenmark.1